Ligas acadêmicas representadas em coordenação na SBQ

YD Comunicação - 16/02/2024

O objetivo é aproximar os estudantes da sociedade para melhorar capacitação e parcerias em campanhas de prevenção

A Sociedade Brasileira de Queimaduras acaba de ganhar uma Coordenação de Ligas Acadêmicas, com o objetivo de seguir um dos propósitos dessa nova gestão: a aproximação com estudantes das áreas da saúde. Estará à frente da coordenação o cirurgião plástico Victor Araújo Felzemburgh.


Conforme descreve o médico, as ligas acadêmicas são grupos de alunos que se reúnem e têm autogestão, mas são supervisionados e orientados por professores, que na maioria das vezes, são profissionais de saúde. “O lado muito bom disso é que você concentra pessoas que têm a iniciativa de estudar assuntos afins e desenvolver pesquisa, atividades de prevenção, campanhas, fazer publicações, apresentar em congressos e é importante a gente, junto com a coordenação, com a SBQ, direcionar, ajudar nessa orientação e fornecer membros da SBQ para reforçar o aprendizado, para dar aulas, para orientar projetos e ações com relação à comunidade, mas também de trazer essas ligas e direcionar para uma informação que seja uma formação de qualidade”, destaca Felzemburgh.

O presidente da Liga Acadêmica de Cirurgia Plástica da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais (Laplace), Miguel Pires, vê com bons olhos a iniciativa da SBQ. “Tem muita gente na nossa liga que se interessa nessa área de queimadura e o que posso dizer é que a gente está muito entusiasmado, eu diria, para poder fazer parte dessa organização, porque eu acho que podendo ter um pouco mais de contato com essa área, a gente vai poder aprender um pouco mais a especialidade que a gente almeja e decidir com mais garantia se é o que a gente quer, além das oportunidades que devem surgir com essa organização”, celebra o estudante.

De fato, essa será uma das propostas da coordenação: levar informação aos alunos de todo o país. Mas o trabalho vai além. “As ligas ajudam bastante nas campanhas de prevenção, nas ações sociais, comunitárias. Elas conseguem ser um braço mais próximo das pessoas e queremos aproveitar essa aproximação para atuar na prevenção”, frisa o coordenador de ligas da SBQ. 


Victor Araújo também pretender aproximar a SQB das ligas em todo o país e ofertar grupos de pesquisa. A capacitação é outro ponto primordial. “Queremos ofertar um contato maior dos estudantes com a SBQ, porque ali você cria uma semente da importância da prevenção e também podemos fornecer cursos, treinamentos, discussões, tele aulas, jornadas”, destaca. 

O médico ressalta que há muitos exemplos de má assistência no primeiro atendimento ao queimado por ter ali um profissional ainda em formação, sem muito conhecimento desse atendimento inicial à vítima de queimadura. “É nesse momento que é o ponto mais chave da identificação, na escolha correta da conduta e isso diminui morbidade e mortalidade, um bom direcionamento de uma boa conduta. No atendimento do grande queimado, isso resulta em aumento de qualidade de vida e aumento de sobrevida. Então, por isso, é muito importante a gente também focar em capacitação e treinamento desses alunos e das ligas”, complementa o cirurgião.

Para o presidente da Associação dos Estudantes de Medicina do Brasil (Aemed-BR), Cainã Cardoso, é evidente que, na graduação, os estudantes não possuem proximidade ou exposição adequada ao tema de queimaduras ao longo de sua formação. “Dessa forma, a SBQ, por meio de iniciativas, poderá aproximar os acadêmicos ao tema”, destaca.

Ele frisa, ainda, que a Coordenação de Ligas Acadêmicas poderá contribuir para “o avanço do conhecimento científico através da construção de um ambiente de aprendizagem com enfoque em atividades de ensino, pesquisa e extensão onde poderá se buscar novas abordagens de tratamento e protocolos de prevenção, além de contribuir com o surgimento de grandes inovações na área de queimaduras”.


Com relacionamento de mais de 10 anos com ligas acadêmicas, Victor Araújo Felzemburgh destaca a importância delas para a saúde. “Fui ligante quando estudante, passei a orientador, já dei aula em mais de 32 ligas. O objetivo é promover saúde, incentivar, empolgar os alunos. E eles trazem de volta os benefícios para a sociedade. Então, eu acho que essa é a ideia que a gente tem de fortalecer o ensino e fortalecer o aprendizado”, finaliza o coordenador das ligas acadêmicas da SBQ. 

Outras Notícias

Réchaud e fondue oferecem riscos de queimaduras

Inscrições abertas para o III Meeting de Fisioterapia e Terapia Ocupacional do Crefito-10

Maquiagem terapêutica será tema do SIG Queimaduras desta quarta-feira (17)

No Dia do Infectologista, SBQ fala da atuação deste profissional nos CTQs

Minas Gerais acaba de credenciar mais dois CTQs de alta complexidade

Porto Velho recebe CNNAQ, curso promovido pela SBQ

SBQ recebe homenagem em evento da Abracopel

Representante da SBQ participa de evento de queimaduras da Asia Pacific Burn Association

SIG Queimaduras desta quarta-feira (3) fala sobre desafios da motricidade orofacial na fase aguda

SBQ é signatária em campanha vinculada ao Pacto Nacional pela Primeira Infância, promovida pelo CNJ

EU VENCI – A positividade de Adrielle Macedo move o mundo em sua volta

Após votação em assembleia, Estatuto da SBQ terá duas alterações

SIG Queimaduras desta quarta-feira (27) abre discussão para a importância do atendimento pré-hospitalar

Ideação suicida e queimadura é tema do SIG Queimaduras desta quarta-feira (20)

Acidentes domésticos será tema da campanha Junho Laranja 2024

SBQ isenta pagamento de anuidade do período da pandemia

SBQ conta com 11 mulheres em posições de liderança

Parceria entre SBQ e Abracopel rende bons frutos no caminho da prevenção

EU VENCI – Da dor, Fernanda Nogueira tira forças para promover a prevenção

Comitês apoiam SBQ na construção do processo de atendimento integral à saúde de pacientes queimados